September 21, 2018

A partir da técnica de Viewpoints atravessada pelos estudos em Artes do Corpo (Dança, Teatro, Perfomance), minhas metodologias de aula propõem um lugar para a improvisação e comunicação pessoal e coletiva, permitindo a construção de novas estruturas e composições corporais, sonoras, e de movimentação, fomentando a consciência de um corpo singular e plural.

Sobre Viewpoints

Viewpoints são pontos de atentitividade, um estado imediato e sutil de atenção, de escuta de si e do espaço, é uma filosofia traduzida por Anne Bogart em técnica de jogo para treinar artistas, atletas, construir coletivos, permitindo a criação de movimentos inteligentes, potencializando a atuação em grupo e a composição cênica. O trabalho se baseia na categorização do Tempo-Espaço, que os sistematiza em subcategorias onde Tempo refere-se a: Velocidade, Duração, Resposta Cinestésica e Repetição; e Espaço: Forma, Gesto, Arquitetura, Relação Espacial e Topografia, e Voz. Viewpoints trata...

October 11, 2017

Café Muller de Pina Bausch: https://www.youtube.com/watch?v=WZd2SkydIXA

Sobre o livro de Adriana Banana: http://revistadedanca.com.br/trishapensamento-danca-fora-do-conforme/

Trisha Brown em "Roof Piece": https://www.youtube.com/watch?v=6UN4DrkrL9E

Portas e janelas grandes, transparências, vidros embaçados. Porta giratória. Mulheres que caminham em pequenos passos e compassos, lentos e rápidos. Suas trajetórias em linhas retas, atravessando o espaço de um lado ao outro, levando as cadeiras ao seu redor ou indo em frente, obrigando um homem a remover cadeiras para que a passagem esteja fluída. Camisolas e movimentos nas paredes, dois homens observam. Movimentos sequenciados. Olhos fechados. A música é ópera, a letra fala sobre o que foi, sobre um partir, sobre alguém que não irá voltar, sobre uma tristeza, mágoa, saudade, desejos de retorno. Os tons opacos na cenografia e figurino.

“Um plano de composição é uma zona de distribuição de elementos diferenciai...

June 5, 2017

Criação/Reflexão realizada a partir da leitura do livro de Andrei Tarkovski - "Esculpir o Tempo".

Pelos olhos da humanidade o tempo faz o presente

Pés que não cessam de se mover

Dedos que não deixam de se tocar

Pele vibrátil

A arte esquadrilha e ladrilha sensações

Tempo e espaço da realidade

Da ficção

A dissolução de palavras ao vento

A mudez do século e da vida cotidiana

O sol que não pára de atravessar

Camadas sobrepostas de pó, desgraça, destruição

Arte física, arte quântica, arte do espírito

Arte sacrifício esculpindo a morte

Dando tempo à vida

Fala-se sobre arte

Prefiro a mudez

Dos sentidos

Dos por quês e dos para quês

Um espelho não reflete a totalidade do tempo

Os cacos e suas cicatrizes

Sim, formam o todo

Olhamos sem ver...

Verdades absolutas?

“Words, words, words”

A tagarelisse da civilização

Como leite estilhaçado ao chão

A guerra

Ordem contra o caos

Sobrevivência e fragilidade?

Como um corpo feminino?

Dê-lhes calmantes, terapias

Pão e bebida

Durmam para que passe o tempo

S...

January 24, 2017

Existe um céu azul para o cinza que se vê. Quando a gente não vê a direção, quando a gente não sabe o caminho, quando o que se pensa, não é o que se parece, o que aparece. Em um verso de uma nova - ou velha - canção eu disse que “em branco fica o pensamento, as ideias, as ruas, as linhas, aqui, ali, entre”, estou BRANCO.

Branco fica quando a perspectiva de coisas se embaça, coisas que digo são essas coisas do dia-a-dia, vontades que você precisa deixar passar, desejos que talvez sejam melhor abafar, porque eles te definham, comem a sua carne como urubus.

Existem dias, semanas, meses, anos, minutos, segundos, que prosseguimos avançando, mesmo no tédio da mesmice do mundo, mesmo na corrida por dias mais leves, avançamos, do nosso jeito, mas avançamos.

Quando se apaixona por alguém, quando olha nos olhos e ali está tudo sendo dito, sem palavras. Deixar essa pessoa ir é entediante, saber que ela não pode estar ali, de nenhum jeito. Nem do modo como você gost...

RIOSOU entrevista Dani Greco artista multifuncional, multimídia multiregional - 50% Paulista e 50% Carioca, formada em Comunicação das Artes do Corpo pela PUC/SP e atualmente trabalha no lançamento de seu 1º álbum autoral indie rock "AniL".

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Confira aqui mesmo ou AQUI NO LINK!

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

RIOSOU - Gostaria que você definisse essa expressão “Prefere o entre-corpo-lugar Rio de Janeiro-São Paulo” e como você chegou a essa constatação e como é conviver, trabalhando com tanta intensidade em duas cidades tão distintas?

“Entre-Corpo-Lugar” é uma pesquisa que começou nesse vai e vem entre SP-Rio, que faço há 15 anos. Comecei a perceber as diferenças e similaridades que as duas cidades...

Please reload

Archive
Please reload

    © 2014 por Danielle Greco. Criado com Wix.com.